Pelotas vence o Bra-Pel sem torcida


 Com a bola rolando, o cenário era totalmente diferente do que estamos acostumados a vivenciar num dia de Bra-Pel. Arquibancadas vazias, entorno da Boca vazio. O novo normal, seguindo protocolos rígidos de prevenção à Covid-19, só não se apresentou dentro de campo. Durante a etapa inicial, o Pelotas teve três ótimas oportunidades: Alex Henrique, Hugo Sanches e Wendel pararam apenas em grandes intervenções do goleiro Rafael Martins.

A pressão da reta final do primeiro tempo continuou no início do segundo e, no minuto um, Alex Henrique desviou escanteio cobrado por Hugo Sanches para abrir o placar a favor do Lobo: 1 a 0! A resposta adversária foi rápida e, quando o estreante Ravel já havia feito boa defesa, Luiz Felipe, também depois de bola parada, igualou o marcador: 1 a 1.

Mostrando determinação em busca do desempate, Ricardo Colbachini mandou a campo Paulinho, Milla e Juliano. Com isso, o ataque móvel do Pelotas ganhou fôlego novo e as chances voltaram a surgir. Aos 22, foi justamente Juliano quem ameaçou, recebendo de Gabiga e batendo para fora.

Já aos 32, Moisés invadiu a área pela direita e carimbou o travessão do Brasil. Mais tarde, em outro escanteio de Hugo Sanches, foi Ramires quem se antecipou na primeira trave para decidir o clássico: 2 a 1 Lobo! É verdade que Juliano ainda poderia ter ampliado, enquanto o Pelotas segurou a vantagem com a maturidade necessária.

O Gauchão 2020 foi absolutamente diferente nas bandas da Avenida. Mas a temporada segue longe do fim: vem aí a Série D do Campeonato Brasileiro, e a preparação áureo-cerúlea está apenas dando os primeiros passos. Agora, com um acréscimo de confiança e ritmo competitivo, então que venham novos motivos para sorrir.

FICHA TÉCNICA

Pelotas: Ravel; Moisés, Felipe Chaves, Wendel (Marcelo) e Gabiga; Vini Garcia (Paulinho), Ramires, Ariel (Juliano), Daniel Costa (Willian) e Hugo Sanches; Alex Henrique (Milla). Técnico: Ricardo Colbachini.

Brasil: Rafael Martins; João Ananias, Leandro Camilo, Luiz Felipe e Bruno Santos; Jacone, Revson, Simião (Hipólito) e Sousa (João Siqueira); Luiz Henrique (Nathan) e Dellatorre (Wesley). Técnico: Hemerson Maria.

Gols: Alex Henrique, a 1min2T, e Ramires, aos 38min2T (PEL); Luiz Felipe, aos 9min2T (BRA).

Arbitragem: Anderson Daronco, auxiliado por Lúcio Flor e José Eduardo Calza.

Cartões amarelos: Bruno Santos e Leandro Camilo (BRA).,