michel leo bahia 300x208 Lobo não faz bom segundo tempo e perde o clássico.

Foi um domingo difícil para o Pelotas: perdeu o Bra-Pel 363 por 2 a 1, e adiou a confirmação da classificação para asegunda fase no Campeonato Gaúcho e ainda viu o rival escapar de vez de qualquer chance de rebaixamento Já o Lobo está há três rodadas sem ganhar e adia a definição da conquista de vaga na próxima fase do Gauchão. Vai decidir seu futuro na partida diante do Grêmio, quarta-feira, na Boca do Lobo.

No Bra-Pel da paz, com torcida mista no Bento Freitas e estádio praticamente lotado, o clássico foi carregado de emoção e cheio de alternâncias no rumo da partida. O técnico Gustavo Papa manteve a base da equipe, trocando apenas Nirley por Heverton. Já Diego Gavilán foi mais radical no setor ofensivo, colocando Leo Bahia pelo lado do campo e Claudio Correa, El Ogro, no comando de ataque.

FALHA – O Bra-Pel começou a apresentar cedo seus personagens. Aos sete minutos, Pará colocou uma bola na área e o goleiro Airton falhou feio. Ele errou a passada e deixou a bola entrar. Um frango. Em seguida, Airton se recuperou do erro ao defender uma cabeçada de Michel, após lance pela esquerda criada por Diogo Oliveira e Bruno Paulo. O Pelotas assimilou o golpe e passou a dominar o jogo.

Jarro ficou duas vezes na frente do goleiro Carlos Eduardo, que ganhou o duelo nos dois momentos. Primeiro, dando um tapa providencial na bola e, depois, salvando com o pé. Na bola alta (potencial do Pelotas), Reinaldo Dutra cabeceou uma bola por cima do travessão. O empate ocorreu aos 36 minutos. Depois de uma cobrança de arremesso lateral, a defesa do Brasil cortou e Jarro pegou o rebote, de primeira, mandando a bola no ângulo.

DAS VAIAS AOS APLAUSOS – O Brasil voltou para o segundo tempo melhor agrupado em campo e mais incisivo no ataque. Aos 10 minutos, Diogo Oliveira chutou a gol, Airton fez a defesa parcial, Bruno Paulo cruzou da esquerda e Michel só completou para a rede. O centroavante estava ouvindo vaias da torcida – protestos que se transformaram em aplausos. Michel ainda marcou outro gol, mas o auxiliar de arbitragem Leirson Peng Martins marcou impedimento.

O jogo esteve à afeição do Brasil em função da expulsão de Reinaldo Dutra, aos 20 minutos. No esforço, o Pelotas conseguia chegar ao ataque, especialmente através de Jarro. Num erro de Ricardo Luz, Jarro teve a chance do empate, mas Carlos Eduardo salvou o Xavante. Aos 36, Heverton também foi expulso e o jogo ficou equilibrado – pelo menos em número de jogadores em campo. Como Papa já havia feito as três modificações, Sousa teve que ser improvisado na zaga.

O Pelotas voltou a crescer em campo e passou a pressionar em busca do gol de empate. Carlos Eduardo foi decisivo novamente ao dividir o lance ao sair nos pés de Giovane Gomez. Rubinho também teve a chance do empate numa cobrança de falta, mas a bola passou por cima do travessão. No apito final da partida houve comemoração dos rubro-negros, que finalmente puderam aliviar a pressão em função do risco de rebaixamento. O Lobão completou o terceiro jogo sem ganhar. Antes perdeu para o Caxias e empatou com Veranópolis.