léo costa Pelotas vence o Aimoré e garante permanência virtual no Gauchão

Era noite decisiva na Avenida Bento Gonçalves. Este foi o discurso durante a semana anterior. Quem vencesse o duelo garantiria permanência no Gauchão. No Pelotas, Gavilán fez uma mudança em relação ao empate contra o Novo Hamburgo. Reinaldo Silva entrou na vaga de Makelele com a missão de proteger o meio campo. Léo Costa firmou lugar com a lesão de Julio Santa Cruz. O Aimoré manteve Gustavo Xuxa, destaque da vitória no Bento Freitas, quando marcou dois gols. Wagner era dúvida durante a semana, mas também iniciou na meia cancha do Índio Capilé.

A partida iniciou às 20 horas. Num dos primeiros lances do Pelotas, Léo Bahia se apresentou, tentou encontrar Jarro na grande área, mas Douglão chegou para cortar. A resposta do Aimoré foi com Wagner em drible e cruzamento, mas Henrique Ávila cabeceou para fora.

O jogo era equilibrado, apesar dos estilos distintos. O Aimoré valorizava muito a posse de bola na troca de passes, enquanto o Pelotas acelerava o jogo. Em partida parelha, a bola parada resolve. Escanteio cobrado e cabeçada precisa de Reinaldo Dutra: 1 a 0 para a festa da torcida na Boca do Lobo, aos 30 minutos. O controle ficou com a alcateia. Léo Bahia, que fazia boa atuação, acreditou em lance e sofreu pênalti de Marcelo Pitol aos 39′. Penalidade sofrida por um Léo e cobrada pelo outro: Léo Costa mandou às redes: 2 a 0.

Se a festa já estava garantida, ficou ainda melhor aos 45 minutos. Germano cobrou escanteio e Léo Costa novamente apareceu para conferir, desviando para o terceiro gol do Pelotas. A partida parelha se transformou numa senhora vitória para o Áureo Cerúleo: 3 a 0. A saída para o vestiário reservou um capítulo à parte. Ex-goleiro do Xavante, Marcelo Pitol, que cedeu o escanteio no primeiro gol e cometeu o pênalti no segundo, foi alvo do humor dos torcedores.

Na volta do intervalo, o Aimoré tentou com Marco Antônio, de volta ao time no lugar de Leandro Canhoto. O Índio Capilé até buscava a reação, mas a discrepância no placar era muito grande e o Pelotas não tinha motivos para se expor. A primeira mexida de Gavilán foi Maicol na vaga do artilheiro da noite, Léo Costa.

As chances dos ataques se escassearam e ninguém alterou o marcador. O Lobo, agora em 4º lugar, passa a mirar a classificação para as quartas de final, enquanto o Aimoré precisa vencer mais uma para garantir permanência.

De notícias, o Pelotas está próximo de anunciar o atacante paraguaio Claudio Correa. Conhecido como El Ogro, ele tem 25 anos e trabalhou com Gavilán no Sol de America do Paraguai. Na preparação física, Felipe Celia assume ocupação que foi de Anderson Sedrez e Roberto Recart. Celia já passou por Joinville e Criciúma.

FICHA TÉCNICA: PELOTAS 3×0 AIMORÉ

PELOTAS: Airton; John Lennon, Dão, Felipe e Rômulo; Reinaldo Silva, Reinaldo Dutra (Adriano Lara) e Germano; Léo Costa (Maicol), Jarro (João Paulo) e Léo Bahia. Técnico: Gavilán.

AIMORÉ: Marcelo Pitol; Gian, Renato, Douglão e Henrique Ávila; Toto, Diguinho, Wagner, Leandro Canhoto (Marco Antônio) e Gustavo Xuxa; Ricardo Verza (Brandão). Técnico: Gelson Conte.

  • ARBITRAGEM: Lucas Horn, auxiliado por Jorge Bernardi e Cléber Flores.
  • GOLS: Reinaldo Dutra (30’), Léo Costa (39’, 45’).
  • LOCAL: Boca do Lobo | Pelotas (RS).
  • DM