gilmar posseConselho do Pelotas aprovou a negociação em andamento para que a reestruturação da Boca do Lobo siga ocorrendo. Tendência é de que obras do hotel junto ao estádio comecem em período de 6 à 8 meses.

Quem via o semblante do presidente Gilmar Schneider após a reunião do conselho deliberativo do clube, ontem, na Churrascaria Lobão, notava um misto de alívio com euforia. Tudo porque, após os conselheiros ouvirem atentamente a explanação feita pelos executivos do grupo Laghetto, empresa que quer se instalar no complexo da Boca do Lobo, eles acabaram dando a aprovação para o presiente seguir tocando esta e outras negociações junto ao estádio.

Em declaração dada após a reunião, Gilmar explicou: "Me atrevo a dizer que foi a reunião da década. Depois de ouvirmos os conselhos consultivos e fiscal, nosso conselho deliberativo aprovou que sigamos tocando a negociação para modernização da Boca do Lobo. A partir de hoje, posso dizer que o Pelotas está prestes a mudar de patamar. Dentro de pouco tempo seremos um clube autossustentável, e sem dívidas. Hoje, nossa dívida com a justiça trabalhista já diminuiu muito, e passaremos a focar nosso passivo tributário. É muito importante chegarmos nesse ponto." - disse.

Sobre o investimento, Gilmar não explicitou, mas notícias dão conta que o montante só do módulo 1 deva chegar em 8,5 milhões. E desse dinheiro, uma parte importante deve passar para o futebol: "Para o nosso torcedor que não sabe, o Pelotas tinha direito de 1,6 milhões de reais de cota de televisão. Desse montante, tivemos que adiantar 1,3 milhões para quitar compromissos inadiáveis. Agora, poderemos - no mínimo - repôr esse valor e disputar o campeonato em igualdade de condições com qualquer outro clube." - disse.