projeto boca do lobo 300x174 "Nova Boca do Lobo" pode ter encaminhamento importante hoje.

O Pelotas terá uma noite decisiva nesta quarta-feira para seu futuro. Os conselheiros do clube vão votar a aprovação do contrato com a rede de hotéis Laghtetto, que irá investir no entorno da Boca do Lobo. O presidente Gilmar Schneider elegeu esse empreendimento como uma das prioridades de sua gestão. “Eu só peguei a presidência, porque acreditava que poderia aproveitar melhor o patrimônio do Pelotas”, afirma.

O dirigente acredita que a proposta não terá oposição no coletivo de conselheiros do clube. O projeto já está aprovado pelo Conselho Consultivo, que é formado por ex-presidentes dos Pelotas. Na noite de ontem, Schneider se reuniu com os membros do Conselho Fiscal. Com pareceres favoráveis, a questão será apresentada aos conselheiros. “Não acredito que haja reprovação. Isso vai mudar a cara da Avenida (Bento Gonçalves) e vai elevar o Pelotas a outro patamar”, diz Schneider.

PROJETO – O contrato envolve toda a área entre a Avenida Bento Gonçalves e Rua Amarante na frontal do estádio pela Rua Padre Anchieta. Segundo Schneider, a obra será executada por etapas e a primeira delas vai ser esquina na Bento Gonçalves com Anchieta – local onde está localizada a Churrascaria Lobão. A edificação terá a parte térrea, que seguirá sendo administrada pelo clube; e mais nove pavimentos superiores. Nessa parte superior, o Pelotas terá direito a um percentual do que for negociado.

Schneider destaca que aprovação do contrato no Conselho Deliberativo do Pelotas é a última fase de responsabilidade do clube. Depois o projeto técnico passa pela análise para aprovação pela Prefeitura, antes de iniciar efetivamente a execução das obras. O dirigente admite que essa questão se tornou uma obsessão em sua trajetória na diretoria do Pelotas. “É um trabalho de dois anos e meio. Isso não é pouca coisa”, complementa.

E para o clube o que vai representar? “É o fim dessa coisa do me ajuda. É a viabilidade financeira do Pelotas”, define Schneider, que desta forma pode entrar para a história do clube por ter acreditado num sonho de transformar o Lobão em autossustentável. Só falta agora a aprovação por parte dos conselheiros.