giovane gomes metralhadoraNa melhor partida do ano, Pelotas vence o Aimoré e fica próximo da final e da vaga em competições nacionais.

O Pelotas teve um domingo para lavar a alma: fez grande atuação, venceu o Aimoré por 2 a 0 e ficou muito perto de garantir vaga na final da Copa Paulo Sant’Ana. Também está a um empate assegurar retorno a uma competição nacional (Série D do Brasileiro ou Copa do Brasil). O jogo de volta ocorre domingo no Cristo Rei, em São Leopoldo. O Lobão só é eliminado se perder por três gols de diferença ou por 2 a 0 (nesse último caso, a decisão vai para os pênaltis).

O sinal de que seria uma tarde especial na Boca do Lobo ocorreu logo aos 10 segundos de jogo, quando Paulinho Semionato ficou livre na frente do goleiro Nicolas, mas errou a conclusão. A bola foi para fora e o atacante teve uma contratura muscular ao desferir o chute, tendo que deixar o gramado sendo substituindo por Giovane Gomes. E foi exatamente o predestinado Giovane que marcou o primeiro gol do Pelotas. Gustavo Xuxa colocou a bola entre os zagueiros adversários e o atacante só desviou, vencendo Nicolas.

O primeiro tempo foi complicado para o Pelotas. Além do adversário, o vento soprava contra. O Aimoré levou perigo em alguns lances. No principal deles, Elton desviou a bola de cabeça e Rafael Copetti precisou fazer grande defesa, cedendo o escanteio.

SUPERIORIDADE – No segundo tempo, o Pelotas se impôs ao adversário sem deixar dúvida quanto à sua superioridade. Gustavo Xuxa comandou as ações no meio-campo, dando assistências para todos os lances importantes de ataque da equipe. Rafinha teve por dois momentos a chance de ampliar a vantagem. Na primeira, o zagueiro Douglão salvou o Índio Capilé, quando o goleiro já estava vencido. Na segunda, a bola foi para fora.

Aos 26 minutos, Xuxa conseguiu – mesmo pressionado pela marcação – dar a assistência para Jean Roberto que entrou na área, livrou-se da falta e tocou a bola na saída de Nicolas. A vantagem de 2 a 0 estava construída. A missão passava ser a de não tomar gol – algo inédito nesta campanha do Pelotas no segundo semestre. A defesa se manteve segura e a o ataque poderia ter ampliado a vantagem. Igor Padilha mandou uma bola no poste (de novo assistência de Gustavo Xuxa).

Rodrigo Vitor apareceu na área, mas não alcançou de cabeça um cruzamento que veio da esquerda. Enquanto isso, o Aimoré se desdobrava em campo, mas esteve sempre mais perto de tomar o terceiro gol do que fazer seu primeiro na partida.

PÓS-JOGO

Discurso para

conter euforia

A vitória diante do Aimoré foi muito comemorada na Boca do Lobo, porque é a confirmação do processo evolutivo da equipe. As manifestações pós-jogo, no entanto, tentam conter a euforia diante do risco de esquecer que tem ainda a partida de volta em São Leopoldo. Os motivos para festejar não faltam: classificação encaminhada para final, excelente atuação e seis partidas de invencibilidade.

“Fizemos uma grande partida, mas temos ainda muito o que evoluir. Já evoluímos bastante, mas temos que continuar com os pés bem no chão. Não ganhamos nada ainda. O futebol apresenta muita surpresa”, comentou o diretor de futebol, Manoel Nunes. Ele destacou que a atual equipe está conquistando a torcida áureo-cerúlea. “Sempre disse para os jogadores e comissão técnica que precisamos reconquistar essa torcida. E teria que ser feita de dentro para fora, com resultados”, ponderou.

Para o técnico Thiago Gomes, o Pelotas fez uma partida de excelência. “Pelo que os dirigentes me disseram, esse foi o melhor jogo do ano do Pelotas”, afirmou. “Faltava fazermos uma grande partida na frente do nosso torcedor. E conseguimos fazer isso hoje (domingo). Fora de casa já tínhamos feito grandes jogos”, completou.

PELOTAS

Rafael Copetti

Caxambu

(Thomaz)

Weverton

Ricardo Bierhals

Juliano Tatto

Tiago Gaúcho

(Alberto)

Rodrigo Vitor

Jean Roberto

Rafinha

(Igor Padilha)

Gustavo Xuxa

Paulinho Semionato

(Giovane Gomes)

(Berg)

Técnico: Thiago Gomes

 

AIMORÉ

Nicolas

Anderson Feijão

(Leozinho)

Luiz Henrique

Centeno

(Douglão)

Tiago Alemão

Digao

(Murilo)

Faísca

Gean

(Thiago Correa)

Elton

Marco Antônio

Brandão

(Giovane Rosa)

Técnico: Fabiano Borba

  • Local: Estádio da Boca do Lobo, em Pelotas
  • Árbitro: Daniel Nobre Bins
  • Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi e Thiago Augusto Diel
  • Cartões amarelos: Copetti e Thomaz (P); Faísca (A)
  • Gols: Giovane Gomes (31min do primeiro tempo) e Jean Roberto (26min do segundo tempo)
  • DM