bruno collaçoBruno Collaço alerta sobre o atual momento e afirma: "é hora de ter personalidade e não errar mais."

O Brasil passa pelo seu pior momento dos últimos cinco anos, ocupando a penúltima colocação da Série B do Campeonato Brasileiro, com 13 pontos em 14 partidas. O jogo de sexta-feira, às 18h, contra o Juventude, no Bento Freitas, ganhou o peso de uma decisão – até por ser confronto direto na luta contra o rebaixamento. O lateral esquerdo Bruno Colaço entende que é o momento de o grupo demonstrar personalidade.

“Não adianta reunir e conversar. É o momento de cada um olhar para si e procurar dar algo mais. Não resolve conversar, conversar e na hora do jogo dar uma pane, tomando gols bobos. É a hora da personalidade, de fazer algo mais”, afirma Colaço, que irá enfrentar seu ex-clube. No ano passado, ele jogou a Série B pela equipe caxiense.

O treino desta segunda-feira foi na Arena Marini. O técnico Gilmar Dal Pozzo não deve mexer muito na equipe – até porque as alternativas confiáveis não são tanta assim. Do seu primeiro para o segundo jogo, o treinador mudou a escalação em quatro posições. Talvez seja o momento de dar continuidade a uma composição de time. A alteração provável é a volta de Rafael Dumas, que cumpriu suspensão jogo passado, sendo substituindo por William Machado.

O momento é também de contar com o apoio da torcida – por mais desconfiada que ela possa estar em função da má campanha, especialmente as derrotas dentro de casa. Os ingressos para assistir ao jogo de sexta-feira custam R$ 30. O Brasil tem excelente retrospecto recente contra o Juventude: ganhou os últimos três jogos (dois pela Série B do ano passado e um pelo Gauchão de 2018).

O Brasil pode contratar o lateral esquerdo Julinho, 31 anos, que está no Caxias. O time serrano foi eliminado domingo na Série D do Brasileiro.

DM