sinott coletiva apresentação Para o executivo de futebol do Brasil, Vinicius Sinott, a série B terá de 12 à 15 clubes brigando pelo acesso.

Uma competição equilibradíssima, na qual de 12 a 15 equipes aparecem com condições de brigar pelas quatro vagas na primeira divisão de 2019. E o Brasil se coloca neste bloco de postulantes ao acesso. Esta é a opinião do diretor executivo de futebol do clube rubro-negro, Vinícius Sinotti, ao projetar a Série B do Brasileiro, que começa nesta sexta-feira e se estende até novembro.

“Vai ser uma competição com muita paridade. São de 12 a 15 equipes em condições de buscar vaga na Série A. Não tem um grande favorito, mas são equipes parelhas. E o Brasil está neste bloco, porque fez uma grande campanha no Campeonato Gaúcho, contratou quatro reforços e pode trazer ainda mais um ou dois jogadores. Não é favorito a nada, mas é candidato”, avalia o dirigente.

A Série B é uma competição longa, que exige regularidade. O Xavante espera fazer do Bento Freitas um fator de desequilíbrio em seu favor. “Jogar em casa sempre foi uma força do Brasil. Nos últimos seis meses nós só perdemos para o Grêmio, que é o melhor time do Brasil – não eu que estou dizendo, mas é a opinião dos grandes analistas de futebol do país. Precisamos fazer a diferença em casa, já começando pela partida de sábado, contra o São Bento”, ressalta Sinotti.

EQUIPE – No treino desta quinta-feira o técnico Clemer testou uma formação diferente de meio-campo. Zé Augusto apareceu na linha de quatro do meio-campo, fazendo as funções centralizadas ao lado de Alisson Farias, enquanto Calyson e Lourency ocuparam as extremas. Michel ocupou o comando de ataque. O time teve Marcelo Pitol; Eder Sciola, Leandro Leite, Heverton e Arthur; Leandro Leite, Zé Augusto, Calyson, Alyson Farias e Lourency; Michel.

DM